quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Como os japoneses veem o Natal

O povo japonês tem grande fascínio pela cultura ocidental e seus modismos. De maioria xintoísta e budista, a nação tem no catolicismo sua terceira grande religião, ainda que em posição distante das tradicionais.

O Natal, festa maior do cristianismo, também foi incorporado à vida dos japoneses com muita decoração relacionada por toda parte, ainda que a data não seja feriado no país. Lá, muito mais do que no ocidente, o Natal é uma celebração meramente comercial, sendo a noite da véspera uma data muito aguardada especialmente pelas garotas (e jovens de um modo geral), por motivos nada religiosos. 


Um típico Xmas Cake japonês, símbolo
do "romantismo natalino". Não por
acaso, sempre tem morango,
uma fruta dita afrodisíaca.
As campanhas de Natal lá não são tão focadas nas crianças ou nos presentes para toda a família, como aqui. O grande foco lá são os casais (existentes ou futuros), visto que no Japão, por força da mídia e do comércio, o Natal acabou se transformando num similar ao Dia dos Namorados. Existem até os requintados bolos de Natal (Xmas Cakes), um presente já tradicional para quem deseja conquistar sua cara-metade.

Agências oferecem pacotes de viagem românticos no Japão, artistas lançam músicas que falam de Natal (na verdade, só o “Merry Christmas”) embalados em vídeo clips românticos. Os motéis ficam lotados, com casais achando que uma noite de transa apaixonada é o espírito do Natal. Na mídia, garotas sensuais com gorros de Papai Noel são verdadeiro fetiche da época, muito mais do que em qualquer parte do ocidente.


Aqui, ao menos, as pessoas (mesmo os ateus) sabem que o Natal é a comemoração do nascimento de Cristo. Lá no Japão, a maioria do povo não faz a menor ideia de onde veio essa data, só vai na onda do que eles acham ser um "dia dos namorados" de tanto que a mídia lá martela historinhas românticas e meninas sedutoras nessa época. 


Depois de explicar toda essa distorção (muito blasfema, sendo sincero), quero lembrar que há exceções honrosas e recomendar a canção Sekai ni Merry Xmas ("Natal no mundo"), de Aska (da dupla Chage and Aska, agora em carreira solo). A música foi lançada originalmente no álbum GUYS, de Chage and Aska, em 1992. Em 2010, ele regravou a canção em seu álbum solo Standard. A versão ao vivo e sinfônica vista aqui é de 2011 e mostra um dos maiores compositores e intérpretes da música pop japonesa. Uma grande apresentação, respeitosa com uma data que, cada vez mais, passa a fazer parte da vida dos japoneses. 

(Atualização - nov./ 2013: Em 2012, uma amiga avisou que havia muito mais campanhas publicitárias e promoções em estabelecimentos comerciais japoneses evocando o Natal como uma ocasião de reuniões familiares e fraternidade. Segundo ela, o Natal japonês estava caminhando para ser mais um evento familiar do que romântico. Mas o apelo romântico/sexual aliado ao Natal lá ainda é muito forte.)


Sekai ni Merry Xmas - ASKA 



A música fala de crianças, paz e alegria se espalhando pelo mundo, com uma mensagem fraterna que independe de religião e é totalmente respeitosa com a data. Como, aliás, já fez John Lennon em 1972, com Merry Xmas (War is Over)Falando nisso, tem um post antigo aqui no Sushi POP com uma versão dessa canção de Lennon com instrumentos orientais, feita pelo grupo Rin. (Confira aqui.)



10 comentários:

Bruno Seidel disse...

Muito interessante o post. Tem informações aqui que eu sequer tinha ouvido falar, mesmo sendo um apreciador da cultura japonesa. Mas é inegável que o ocidentalismo se faça presente nas demais culturas e que o Natal, que é derivado do cristianismo, penetre na cultura japonesa, mesmo desvinculado dos seus princípios de origem. Vale lembrar que o Natal é, de longe, a data comercial mais forte do mundo. Aliás, fala-se muito que a Toei e a TV Asahi alteraram recentemente seu calendário de lançamento das séries Kamen Riders justamente em função do Natal: antes as séries Kamen Rider estreavam em janeiro, pouco antes das séries Super Sentai (fevereiro). Desde 2009 (com Kamen Rider W) os Riders passaram a estrear sempre no final do verão japonês (início de setembro). Tudo indica que é uma estratégia pra alavancar a venda de produtos (brinquedos principalmente) na época do Natal. Aliás, o Rider "coadjuvante" da série (Accel em W, Bith em OOO) costuma debutar sempre na série logo após o Natal (provavelmente pra não deixar a peteca das vendas cair)... Enfim, o post era inicialmente sobre o Natal e cá estou eu falando sobre Tokusatsu, huehueheuheuheue! Acho que essa discussão seria mais apropriada pra outro post. XD

fmass disse...

Realmente era muito estranha a sensação de olhar o calendário de dez. e ver que o dia 25 não estava pintado de vermelho e sim 23, a data do aniversário do Imperador.
Mas as ruas e os shoppings ficavam bem enfeitados com temas natalinos, incorporando o espírito festivo da data.

Luis disse...

Natal e Japão me fazem lembrar de um clássico: BAROM ONE NO CHRISTMAS!!!

http://www.youtube.com/watch?v=0iXRFzbwteE

Alexandre Nagado disse...

Ah ah, boa dica, Luis.

Ichiro Mizuki é sempre genial, mesmo cantando com coro de crianças.

Abraço!

hamletprimeiro@gmail.com disse...

Oi Nagado,
Depois de ver aquele clip da Mariah Carey e do Justin Bieber, não sei não se não somos tão hereticos quanto os japones.

Alexandre Nagado disse...

E aí! Que sorte a minha por não ter visto esse clipe. O destaque do lado comercial do Natal sobrepujou o sentido espiritual há muito tempo. Mas é curioso ver no que a data se tornou no Japão.

Abraços!

Kauê disse...

Legal, não entendia essa relação de país não cristão celebrar o natal. Sabia que era uma data comercial, mas não atrelada aos casais.
Agora me lembro de uma cena de Love Hina onde Keitaro e Naru se aproximam, em intimidade, na noite de matal...

Alexandre Nagado disse...

Em vários mangás, animês, dramas e afins, é comum surgir uma tensão entre personagens que se gostam em segredo por conta da proximidade do Natal. E ganhar um Xmas Cake é ainda mais forte do que ganhar chocolate no dia de São Valentino (o Dia dos Namorados versão EUA) que os japoneses também adotaram.

edo disse...

o japão não tá muito errado... o natal jamais foi o nascimento de cristo, e isso até mesmo os padres sabem...

a questão foi apenas mudar uma celebração pagã pra algo que fosse conveniente à igreja...

e convenhamos, alguém aqui celebra mesmo algo cristão no natal atualmente?? se 1% da população fizer isso, já será surpreendente, aqui apenas se vê a comilança e o consumismo ^^

Alexandre Nagado disse...

Bom, sobre a data do nascimento de Cristo, realmente os estudos mais aprofundados dizem que não foi mesmo 25 de dezembro. O que importa para os cristãos (e eu sou um deles) é o sentido espiritual de se celebrar a data, e fazer a uma semana da virada do ano é ainda mais significativo (ou conveniente, depende de como vê a questão).

Olha, você deu uma estimativa otimista de 1%. Deve ser menos ainda.

Enfim, minha parte eu faço. Mas debates filosófico-teológicos á parte, esse bendito bolo dá água na boca. É caro de modo abusivo, mas pra quem curte doces (como eu), deve ser uma perdição...

Valeu. Abraços!